sábado, janeiro 05, 2008

Este que aqui se vê, paralisado nesse tempo mágico que é o das fotografias, é Conrad Schumann, guarda-fronteira da RDA até brevíssimos instantes antes do disparo da câmara, neste 15 de Agosto de 1961. Dificilmente se percebe, mas a sua bota calca o arame farpado da barreira instalada dois dias antes sobre a linha, até então imaginária, que dividiu Berlim.

Sabe-se, porque o contou quem assistiu, que este jovem de dezanove anos andou todo o dia numa agitação tão evidente que chamou a atenção dos fotógrafos que por ali se mantinham. Um vai e vem nervoso até um ponto determinado da barreira onde baixava sistematicamente, em jeito pouco convincente de rectificação, a altura do arame farpado. No sítio exacto onde agora tem a bota.

Conrad está prestes a largar a arma, numa urgência de arrependido. Há dois dias que lhe queima a consciência. Quando ela tombar, no instante seguinte, terão caído por terra, também, as suas ilusões. O ideal cedeu ao real. A fé ao pragmatismo. Sabe, enfim, que escolheu o lado certo da vida.

3 comentários:

Persona disse...

Re-bem-vindo à Blogosfera!Ela já estava com saudades tuas e perguntava-se o motivo de tanta preguiça...

Fotografia icónica de um tempo que é o nosso,mas a que desejaríamos não pertencer. O melhor que podemos dizer sobre ele é repetir a célebre frase de Kennedy "Ich bin ein Berliner!"

Texto que nos relembra esse tempo de muros entretanto caídos. Mas como a história se vai lamentavelmente repetindo e mostrando a confrangedora estupidez humana, simultaneamente nos alerta para novos muros que se vão erguendo, sem que isso pareça incomodar a comunidade internacional. ( e nós? que incómodo é que isso nos causa? Estamos sempre tão longe do que acontece... é sempre no quintal do meu vizinho... quando for no meu, então penso no assunto)

Parabéns pela escolha, pois.

Ainda bem que regressaste.

Anónimo disse...

Viva!

Então de regresso? Fazes muito bem!
Posso dar uma sugestão? Que tal mudar o fundo verde?`É que dificulta a leitura, já reparaste?

Anónimo disse...

que pena o blog ter tão poucos posts! Está de volta? vamos aguardar...